04/02/2017 13:40 - Atualizado em 04/02/2017

Linha Scott Scale de alumínio 2017: DNA de competição

Bike Scott (Foto: Divulgação / Scott) Scott Scale 960 - Modelo 2017 (Foto: Divulgação / Scott) Scott Scale 940 - Modelo 2017 (Foto: Divulgação / Scott) Scott Scale 970 - Modelo 2017 (Foto: Divulgação / Scott) Scott Scale 950 - Modelo 2017 em alumínio (Foto: Divulgação / Scott)

Conheça todos os detalhes da nova linha Scale em alumínio da marca suíça


Inovação sempre foi a principal característica da Scott, em todas as linhas de bicicletas da marca suíça. Os modelos 2017 da linha Scale em alumínio são prova disso: com o DNA de competição e tubulação mais leve, esses modelos oferecem rendimento no pedal e versatilidade nos componentes da nova linha. E o melhor: já estão disponíveis no Brasil. 


Desde a linha 2016 a Scott fez um grande investimento nas bikes de alumínio. Mas neste ano as mountain  bikes se superaram. Com tecnologia mais detalhada na tubulação do que a linha anterior, e novos componentes na montagem das bicicletas, a nova linha Scott Scale em alumínio traz a inovação da liga de alumínio 6011 Super Leve (alloy 6011 SL) nos modelos 940 e 945 e o alumínio 6061 nos modelos 950, 960, 965 e 970.


Mais diferenciais - Mas a linha Scale em alumínio tem ainda outros atrativos nos modelos 2017. Todos os quadros da linha são produzidos com caixa de direção cônica e movimento central padrão BB92 PressFit – além de roteamento a interno dos cabos de câmbio e gancheira removível. Com isso, o peso do quadro M gira em torno de 1470g, sem Hardware (Alloy 6011).


Com o DNA de competição, marca registrada da linha Scale, e também levando em consideração o custo benefício, a linha de alumínio da Scott 2017 oferece opções de configuração extremamente interessantes para os modelos. Inclusive com relação de 2x11 e 1x11, a exemplo dos modelos Scale 940 e Scale 965 2017 configuradas com pedivela XT e NX1, respectivamente.


Além disso, alguns modelos contam com suspensão dianteira Fox Float Performance Air de 100mm Tapered (modelos 940, 945 e 950). Já os modelos 960 e 965 são equipados com a suspensão Rock Shox XC30 Silver TK Solo Air, com 100mm de curso.


Sobre o alumínio - Vamos começar com uma curiosidade: o alumínio é o elemento metálico mais abundante da Terra. Ele é utilizado há muitos e muitos anos no desenvolvimento de quadros de bicicletas e, atualmente, tem uma extensa possibilidade de composições.


Com características bem diferentes do carbono, os quadros em alumínio são produzidos em tubos com diferentes formatos e diâmetros para cada área especifica do quadro. “Brincando” desta forma com as características deste elemento, os engenheiros são capazes de oferecer a rigidez, o conforto e a resistência necessárias em cada área específica da bike.


Para a linha 2016, a Scott optou mais uma vez pelas ligas 6011 e 6061. Com elas, a ideia foi subtrair alguns gramas do peso do quadro, sem comprometer a resistência do produto. Desta forma, foi possível manter a mesma linha trabalhada nos modelos em carbono – e preservando a geometria racing.



Veja abaixo alguns detalhes do quadro Scale em alumínio 2017:


- Caixa de direção Cônica 1.5”-11/8” (Tapered);


- Canote de selim com 31.6mm;


- Abraçadeira do câmbio dianteiro com 34.9mm;


- Rota interna dos cabos de câmbio, prolongando a durabilidade e diminuindo a manutenção;


- Gancheira removível em todos os modelos de alumínio;


- Suspensão de 32mm Tapered (cônica) com 100mm de curso com eixo de 15x100mm nos modelos 940, 945 e 950;


- Suspensão de 30mm Tapered (Cônica) 100mm de curso com eixo convencional nos modelos 960 e 965;


- Movimento central BB92 em todos os modelos de quadros de alumínio;


- O cabeamento interno e coroa 1x contribuem para um visual mais limpo e leve.

Mais notícias de Ciclismo