13/09/2017 15:06 - Atualizado em 13/09/2017

Thomas Galindez segue os passos do pai

Filho do ícone Oscar Galindez,busca boa performance no Mundial de Triathlon Ironman 70.3, nos Estados Unidos.

 

Filho de um grande ícone do triathlon, Thomas Galindez quer fazer bonito neste domingo (10), no Campeonato Mundial de Ironman 70.3, nos Estados Unidos. O triatleta de Santos está confiante em uma boa performance para completar a prova em Chattanooga, no Tennessee, com 1.9 km de natação, 90 km de ciclismo e 21 km de corrida.

“As expectativas são boas, mas sempre tento colocar os pés no chão. Ficaria contente com um top 10 e mais ainda em ser campeão mundial”, afirma o triatleta de 21 anos, patrocinado por OG Design, Motorola Argentina, City Bikes Miami e Unimes, onde cursa Educação Física.

O pai, Oscar Galindez, já fez história na modalidade e entre tantas conquistas estão o tricampeonato do Ironman Brasil, o hepta no Troféu Brasil e também no Triathlon Internacional de Santos e o bronze no Pan de 1995. Experiente, com quase 30 anos na modalidade, ainda continua garantindo títulos importantes, como o Pan-Americano de Ironman 70.3, ano passado, no Panamá Agora, o filho busca o seu lugar ao sol e já vem abrindo caminho com vitórias.

No Mundial, ele largará na ‘age group’ 20 a 24 anos, confiante. “Não penso muito na colocação. Sabemos que em um mundial estão todos bem preparados. Quero dar meu melhor e aproveitar cada quilômetro como se fosse a última prova da minha vida”, avisa Thomy, como é conhecido, que garantiu a sua vaga ao ser campeão em sua faixa etária do City Bikes Ironman 70.3, em Miami, no ano passado.

Este será o seu segundo mundial e em 2016 ficou entre os top 25 na Austrália. Para esta edição, fez uma preparação de quatro meses. “Tentei somar o máximo de quilometragem por semana. Cheguei a fazer 22 km na natação, 800 km pedalando e 125 km correndo”, conta.

Assim como o pai, que foi eleito o melhor “pedal” do mundo no triathlon, Thomy se destaca no ciclismo. “É o que mais gosto de fazer. Mas ciclismo igual o do meu pai não existe (risos)”, ressalta o triatleta, enaltecendo a inspiração para ingressar e crescer no esporte. “Quando eu era pequeno, sempre acompanhava meu pai nas competições e presenciava a garra que tinha e isso sempre me inspirou. Ainda mais agora que faço o mesmo esporte que ele”, destaca. 

Independente da prova deste domingo, Thomy já tem traçado o seu futuro. “Primeiro quero finalizar a minha graduação de Educação Física na Unimes e continuar treinando como estou fazendo. Mais para frente quero mudar de país e ter experiências novas no esporte”, completa o competidor, que entre outros títulos foi campeão júnior do Troféu Brasil de Triathlon em 2014, campeão do Sesc Triathlon em Palmas, em 2015, campeão do Ironman 70.3 Buenos Aires e do Half Distance Concordia, ambos na categoria 18-24 anos.

FMA Notícias

Mais notícias de Triathlon