27/03/2018 14:50 - Atualizado em 27/03/2018

Scheidt volta a competir na represa de Guarapiranga neste final de semana

Bicampeão olímpico disputa o Campeonato Paulista de Star, no Yacht Club Santo Amaro, a partir desta sexta-feira (30) até o domingo de Páscoa, 1º de abril. Velejador não competia no local onde iniciou a carreira há mais de cinco anos.

 Robert Scheidt está de volta ao lar. Vai velejar na represa de Guarapiranga neste final de semana, mesmo local onde iniciou a carreira na vela, ainda criança. O bicampeão olímpico disputa o Campeonato Paulista da classe Star 2018, no Yacht Club Santo Amaro, ao lado de Arthur Lopes. As regatas começam na sexta-feira (30) e terminam no domingo de Páscoa (1º de abril). “Estou muito feliz por competir no YCSA novamente. Faz mais de cinco anos que não disputo uma prova oficial por aqui, pois, em função do ciclo olímpico da Rio 2016, treinei muito no Rio de Janeiro”, conta.

Scheidt não esconde a animação com a competição. “A classe Star está muito saudável em São Paulo. Devemos ter muitos barcos na água, uma flotilha muito boa. Inclusive, existe a possibilidade de contarmos com a participação do Torben Grael e Guilherme Almeida, o que, certamente, eleva o nível da disputa. Vamos correr com o barco do Arthur Lopes e certamente será um prazer velejar na Guarapiranga mais uma vez”, explica o maior medalhista do Brasil, com cinco pódios, e que tem patrocínio do Banco do Brasil, Rolex e apoio do COB e CBVela.

Estão programadas sete regatas no Yacht Club Santo Amaro, sendo no máximo três por dia, sempre com início previsto para as 12h. Scheidt volta a competir no Brasil após conquistar a medalha de prata na edição 2018 da Classe Star na Bacardi Cup, em Miami, nos Estados Unidos. O título não ficou com o velejador brasileiro e seu proeiro, o norte-americano Brian Fatih, por dois pontos. Os campeões, os italianos Diego Negri e Sergio Lambertenghi terminaram com 14 pontos perdidos, contra 16 de Scheidt/Fatih.

Temporada na Star -O grande objetivo de Scheidt na Star, em 2018, é a SSL Finals, em dezembro, nas Bahamas, competição a qual conquistou a medalha de prata em 2017, ao lado do proeiro Henry Boenning, o Maguila. “No segundo semestre, vou encaixar o Campeonato Sul-Americano, no Rio de Janeiro, em novembro. Mas pode ser que eu ainda entre em mais competições. Tudo vai depender da agenda”, revela Robert.

Vela oceânica - Scheidt traçou os objetivos para a nova temporada ancorado em dois pilares, a Classe Star e a Vela Oceânica. Fora do ciclo para os Jogos do Japão, em 2020, o velejador de 44 anos se mostra animado com o desafio de se manter competitivo em duas categorias diferentes do iatismo.

“A temporada 2018 está sendo bem interessante, pois estou mesclando competições na Star, uma de minhas maiores paixões, com a novidade que será a campanha no TP 52, uma das grandes competições de Vela Oceânica do mundo”, revela Scheidt. O novo projeto ratifica suas palavras do velejador ao anunciar, no fim de 2017, a desistência de lutar por uma vaga nos Jogos do Japão, quando garantiu que não se aposentadoria.

Scheidt vai integrar a equipe Phoenix na TP 52 e está animado. “É um projeto brasileiro, com tripulação quase integralmente nacional, boa parte composta por velejadores olímpicos. Serei o tático do barco e estou bem empolgado. É uma oportunidade legal de voltar a competir na classe oceânica em alto nível, retornar para esse mundo de barcos grandes em um dos melhores circuitos do mundo”, revela. Em 2001, como timoneiro do barco ESPN Brasil, ele ganhou o Campeonato Brasileiro, em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro. Em 2009 e 2010, integrou a tripulação do italiano Luna Rossa na TP 52. 

A primeira disputa na TP 52 será em maio, em uma regata preparatória em Palma de Mallorca, na Espanha. Depois, serão cinco etapas da 52 Super Series 2018: Sibenik 52 Super Series Sailing Week – 22 a 27 de maio - Sibenik, Croácia; 52 Super Series Zadar Royal Cup –19 a 24 de junho - Zadar, Croácia; Rolex TP52 World Championship Cascais 2018 – 16 a 21 de julho- Cascais, Portugal; Puerto Portals 52 Super Series Sailing Week –2 0 a 25 de agosto - Mallorca, Espanha; 52 Super Series Valencia Sailing Week – 17-22 de setembro - Valencia, Espanha.

Carreira vitoriosa - Robert Scheidt tem duas medalhas de ouro olímpicas (Atlanta/96 e Atenas/2004 e uma prata (Sidney/2000) na classe Laser, mais uma prata e um bronze na Star (Pequim/2008 e Londres/2012). Ao todo, são 11 títulos mundiais na Laser e três na Star. Na Rio/2106, terminou na quarta colocação. Scheidt tem patrocínio do Banco do Brasil e Rolex e apoio do COB e CBVela.

Maior atleta olímpico brasileiro

Cinco medalhas:Ouro : Atlanta/96 e Atenas/2004 (ambas na classe Laser)
Prata : Sidney/2000 (Laser) e Pequim/2008 (Star)
Bronze : Londres/2012 (Star) 

177 títulos - 86 internacionais e 91 nacionais, incluindo a Semana Internacional do Rio, o Campeonato Brasileiro de Laser e a etapa de Miami da Copa do Mundo, todos em 2016. Em novembro de 2017, pela Star, conquistou a Taça Royal Thames.

Laser- Onze títulos mundiais - 1991 (juvenil), 1995, 1996, 1997, 2000, 2001, 2002*, 2004 e 2005 e 2013
*Em 2002, foram realizados, separadamente, o Mundial de Vela da Isaf e o Mundial de Laser, ambos vencidos por Robert Scheidt
- Três medalhas olímpicas - ouro em Atlanta/1996 e Atenas/2004, prata em Sydney/2000

Star- Três títulos mundiais - 2007, 2011 e 2012*
*Além de Scheidt e Bruno Prada, só os italianos Agostino Straulino e Nicolo Rode venceram três mundiais velejando juntos, na história da classe
- Duas medalhas olímpicas - prata em Pequim/2008 e bronze em Londres/2012

Por: ZDL

Mais notícias de Vela